segunda-feira, 27 de abril de 2015

Novas regras eleitorais ganham forma

Parlamentares da bancada do Tocantins que conversaram o relator da comissão especial de reforma política da Câmara, deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), já sabem os principais pontos que devem constar do documento final dos trabalhos. O presidente do Casa, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), quer o relatório finalizado em maio, para que, até junho, as novas regras eleitorais estejam aprovadas em plenário. Dois pontos bastante discutidos já estão descartados na reforma: não haverá voto facultativo e nem voto distrital.
SEM REELEIÇÃO E MANDATO DE CINCO ANOS
Os mandatos devem ser mesmo de cinco anos, já a partir das eleições municipais de 2016, sem reeleição - preservando o direito adquirido dos atuais prefeitos, que poderão disputar outro mandato. A grande briga da Câmara será conseguir com que os senadores aceitem perder três anos de mandato - o deles cairia de oito para cinco anos.
SEM SUPLENTE
Também cairá, disse Casto a parlamentares tocantinenses, a figura do suplente de senador. Segundo o relator, o segundo colocado da disputa já ficaria como suplente do Estado.
FIM DAS COLIGAÇÕES PROPORCIONAIS
O fim das coligações proporcionais também já está definido. Para tentar a chance de eleição dos partidos pequenos, os maiores prejudicados, a comissão deve sugerir que o número de candidatos obrigatórios caia de 1,5 vez o total de cadeiras do legislativo para apenas 1 vez. Exemplo: o número de vagas na Câmara de Palmas é 19. Assim, para disputar as eleições, a coligação (nas regras atuais) precisa de 29 candidatos a vereador. Pela nova regra, precisaria só de 19 nomes.
MUDA O PERÍODO DE CONVENÇÃO
As convenções mudariam de 5 a 30 de junho para o período de 5 a 30 de julho, diminuindo assim o tempo de campanha eleitoral de 90 para 60 dias. Financiamento público de campanha, tão decantado, não será discutido por não haver acordo na comissão.
COINCIDÊNCIA DE ELEIÇÕES
Os eleitos em 2016, excepcionalmente, ganhariam seis anos de mandato para que todas as eleições pudessem coincidir em 2022, a partir de quando se concentrariam todas as disputas - de vereador, deputados estaduais e federais, senadores, prefeitos, governadores e presidente da República. Primeiro ocorreria a eleição para presidente e, 60 dias depois, a disputa para os demais cargos.
MENOS TEMPO DE FILIAÇÃO
Outro ponto já definido é que o tempo de filiação para disputar o processo eleitoral vai cair de um ano, exigido hoje, para seis meses. Esse é um resumo do que o relator Marcelo Castro deve falar em Palmas, na audiência pública sobre a reforma política, que deve ocorrer na primeira semana de maio. Como o blog informou nessa quinta, 23, a evento seria na segunda-feira, 27, mas, para contar com vice-presidente Michel Temer (PMDB), foi adiada para a semana seguinte. A data depende da agenda de
Temer. Ainda pretendem participar o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, e o deputado Esperidião Amim (PP-SC), que chegou a relatar uma proposta de reforma política, que não foi adiante.

Oobservador

domingo, 26 de abril de 2015

por Míriam Leitão e Alvaro Gribel

O erro principal

O PT administrou a Petrobras como se a empresa fosse dele. Esse é o erro primeiro do desastre consagrado em balanço. Desde que assumiu o governo, em 2003, foi isso que se viu. Todos os alertas, todos os avisos eram tratados como se fossem intromissões indevidas em assuntos internos. O PT geriu a Petrobras como se ela fosse uma sesmaria, e o partido, o seu capitão donatário.
Na donataria da Petrobras, o partido cometeu todos os erros conhecidos nos manuais de administração. E mais alguns. O PT achava que a ninguém tinha que prestar contas, e os militantes-dirigentes diziam que tinham salvado a empresa do risco de privatização e, portanto, poderiam usá-la. Com essa visão, o ex-presidente José Sérgio Gabrielli assumiu a empresa em 2005.
Tudo vem desse erro primordial. O que era público foi privatizado para um partido, que inchou seu quadro com indicações políticas. Ela foi administrada como se fosse o quintal do Palácio do Planalto. Mas é empresa de capital aberto com ações em bolsa, capital pulverizado, inclusive com recursos do Fundo de Garantia e com ações negociadas na Bolsa de Nova York. É empresa internacional que vendeu títulos e bônus no exterior, comprados por fundos de aposentadoria de trabalhadores. Foi tratada como uma donataria do Partido dos Trabalhadores.
De Brasília, o ex-presidente Lula decidiu fazer a refinaria Abreu e Lima, a qualquer custo, para agradar ao amigo Hugo Chávez. Ela custou mais caro, entre outras coisas, porque no meio do caminho a Venezuela saiu fora, e o Brasil precisou mudar o projeto de refino que havia sido desenhado para processar o petróleo da Venezuela.
A gestão petista em três mandatos tomou decisões insensatas, e a palavra final ficou sempre com os presidentes Lula e Dilma. A presidente era ministra da Energia, presidente do conselho de administração, chefe da Casa Civil, antes de assumir o governo. Lula foi presidente por dois mandatos e tutelou o primeiro de Dilma. Os dois são responsáveis pelo que aconteceu.
Os preços foram controlados para que a inflação ficasse abaixo do limite máximo permitido pelas metas de inflação. A defasagem vigorou durante anos. A empresa passou a pagar mais pelo produto importado do que podia cobrar por ele. Quando confrontado com isso, Gabrielli dizia que não podia repassar para o consumidor a volatilidade dos preços. Balela. Só faria sentido o argumento se fosse por pouco tempo; não abona anos de prejuízo na venda do combustível. A ex-presidente Graça Foster pediu várias vezes que os preços fossem corrigidos, mas não conseguiu.
A direção da empresa rasgou os mais elementares conceitos da boa gestão, como vimos aqui neste jornal em série de reportagem: primeiro, a empresa comprou equipamentos em regime de urgência para o Comperj; depois, decidiu mudar o projeto. A construção de mais duas refinarias foi moeda política para estados do Nordeste, apesar de todos os avisos de que a margem do refino tinha se estreitado e não era viável instalar quatro refinarias ao mesmo tempo.
O governo Lula interrompeu os leilões para mudar o modelo de exploração para partilha, criar outra estatal de petróleo, redividir os royalties. Perdemos o melhor momento do mercado, quando havia vontade de investir no Brasil, capital sobrando, e poucas alternativas.
Como se não fosse suficiente manipular os preços, afugentar investidores, impor projetos errados e ocultar informações de órgãos fiscalizadores, ainda houve a corrupção. A empresa foi retalhada dando uma gleba para cada partido da base. Equivaleu a uma licença para assaltar. Os operadores políticos e seus escolhidos dividiram o botim do ataque à maior empresa do país.
A Petrobras ficou à beira do abismo. A cratera que se abriu em suas contas foi calculada em R$ 51 bilhões. Pode ter sido muito mais, se contar o custo de oportunidade de ter seguido outro modelo de administração que evitaria o desperdício de recursos em projetos equivocados, alguns deles, abandonados. O uso da empresa como se fosse propriedade do partido provocou a destruição de riqueza coletiva. Tudo nasceu do erro inicial: o PT, ao ser eleito, achou que tinha virado o dono das empresas que são públicas.

ESTOU DE OLHO EM VOCÊ E TEM MAIS GENTE

Matéria da Agência Senado, publicada no  Tudorondônia, no dia 25/04, com o título: Raupp cobra atenção com rodovias federais em Rondônia, se percebe claramente que é mais um pronunciamento vazio do senador, pessoa que tanto defendi e só agora percebo que este não está nem aí para seus eleitores e muito menos pára o estado de Rondônia. Prova do que digo é Transposição, a relotação dos servidores com mais de 25 anos de serviço prestado ao estado, que foram obrigado a saírem de seus municípios e irem para Cacoal sem nenhum benefício e de forma humilhante, sem ser consultado, sem direito a defesa, mas tudo bem senador, 2018 não está tão longe não. Vou está atento as suas mentiras e de olho na Lava Jato. 

  


Júlio César: “Ao repudiar Pompéia, embora 

inocentando-a 

de infidelidade, com o dito famoso: 'Não basta 

à mulher de César ser honesta, deve parecer 

honesta'.  Pense nisso senador.


Telas com inseticida são testadas no combate à dengue em Goiânia

Telas com inseticida foram instaladas em bairro de Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Telas com inseticida foram instaladas em bairro de Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Telas com inseticida são testadas no combate a dengue em Goiânia  Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
O Ministério da Saúde realiza testes com uma tela com inseticida para tentar combater o mosquito Aedes aegypti, o transmissor da dengue. Em Goiânia, que enfrenta uma epidemia da doença, a prefeitura escolheu 80 casas no Setor Residencial Itaipu para a instalação dos equipamentos. Além da capital, as telas também foram enviadas para a cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

Os testes devem durar dois anos. Os equipamentos são feitos de plástico e foram autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Eles são instalados nas portas e janelas das residências e o objetivo é impedir a entrada dos mosquitos.
De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia, somente após os períodos de testes é que será possível avaliar os resultados e adoção definitiva do método para a prevenção da doença.
"Dependendo dos resultados que encontrarmos nesses dois anos, a OMS [Organização Mundial da Saúde] e o Ministério da Saúde podem ou não adotar isso como uma política pública de controle do vetor", explica Flúvia Amorim, diretora de vigilância em Saúde da SMS.
Epidemia
O último balanço divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, divulgado na sexta-feira (24) revelou que 12 pessoas já morreram de denguem em Goiás. O número representa um aumento de quase 64% em relação ao mesmo período de 2014.
Outras 36 mortes ainda são investigadas e podem ter ligação com a doença. Ao todo, 83,9 mil casos foram registrados em todo estado.
Das mortes, quatro ocorreram em Goiânia, duas em Aparecida de Goiânia. As cidades de Brazabrantes, Crixás, Goianésia, Morro Agudo, Rio Verde e Trindade registram um caso cada.

COMPANHEIRO É COMPANHEIRO ..., FDP É FDP

Foto de Humorando.

Znur Azrav

Znur Azrav[Znur Azrav 10.png] Ela é mulher do piloto de Formula 1 Hamilton. Esta gata é tão gostosa que até dá vontade de ...! Hamilton conduz um formula 1, mas em casa pilota um avião! [Znur Azrav 7.png][Znur Azrav 4.png]

PESSOAS FALSAS

ARNO VOIGT - LINHA DO TEMPO

sábado, 25 de abril de 2015

Silvio Santos corta perguntas em entrevista do bispo Macedo

Edir Macedo em entrevista ao programa "Conexão Repórter", do SBT
Edir Macedo em entrevista ao programa "Conexão Repórter", do SBT
O programa especial que o SBT exibirá amanhã sobre o bispo Edir Macedo, por volta das 23h, deve render boa audiência à emissora, mas também já é a produção que mais dor de de cabeça gerou a Silvio Santos em sua vida.
Pela primeira vez na carreira, Silvio está liderando pessoalmente, no Departamento de Jornalismo do Complexo Anhanguera, a equipe que faz a edição da entrevista com o bispo, o ponto alto da reportagem feita pelo jornalista Roberto Cabrini.
A entrevista causou grande saia-justa: Silvio mandou eliminar várias perguntas feitas por Cabrini ao bispo, inclusive uma que considerou indelicada.
Nessa pergunta, Cabrini queria saber do bispo o que ele achava de lavagem de dinheiro.
Aparentemente todos sentiram que a pergunta era uma referência a suspeitas (não comprovadas) de que a Igreja Universal lava dinheiro. No entanto, Cabrini poderia estar se referindo apenas a  escândalos atuais como Lava-Jato. Mas não foi isso que pareceu a todos presentes.
A pergunta surpreendeu Macedo, irritou a equipe da Record (comandada por Douglas Tavolaro) e enfureceu Silvio quando soube que ela tinha sido feita.
Acontece que a entrevista não foi pautada por Silvio para ser uma das entrevistas investigativas do "Conexão Repórter" ou coisa que o valha.
Silvio, que passou anos negociando a entrevista, avisou desde o princípio que queria que a matéria fosse mais uma homenagem, um carinho a Edir Macedo, seu amigo de longa data. Sem insinuações ou juízos negativos.
A matéria de amanhã também é uma forma de retribuição do dono do SBT a Macedo por causa de uma grande reportagem que a Record apresentou sobre Silvio quando este fez 80 anos (quatro anos atrás).
A reportagem deixou Silvio emocionado. Ele disse que chegou a chorar com o carinho do texto e o respeito que a Record lhe demonstrou.
Desde então ele vinha tentando retribuir a simpatia da Record.
ENTREVISTA TENSA
Edir Macedo acabou respondendo a pergunta de Cabrini, mas nós telespectadores nunca saberemos o que foi, porque Silvio mandou tirar a pergunta. Ela não irá ao ar amanhã, e muitas outras também não.
Além de Silvio, o chefe do Jornalismo da Record, Tavolaro, está supervisionando a edição também.
A reportagem especial sobre o bispo Macedo irá ao ar após o programa Silvio Santos, que será encurtado em cerca de uma hora especialmente para a ocasião, como informou com exclusividade o jornalista Flavio Ricco, do UOL.

O que provoca o som do trovão?

Tudo o que escutamos é resultado de vibrações no ambiente que chegam aos nossos ouvidos em forma de ondas sonoras. O som que chega após o relâmpago é, portanto, também resultado de uma vibração do meio externo, neste caso gerado por uma forte descarga elétrica que se estabelece entre as nuvens e o solo terrestre.
O raio gera uma corrente elétrica de grande intensidade que ioniza o ar ao longo do caminho, produzindo um rastro de luz superaquecido que conhecemos como relâmpago. O ar em torno dessa corrente se aquece rapidamente a uma temperatura de até 27.000 ºC.
Como o fenômeno acontece em questão de instantes, as partículas de ar se expandem pelo calor e são imediatamente comprimidas pelo resfriamento da atmosfera. Dessa forma, cria-se uma onda de ar comprimido que se expande como uma explosão para todas as direções, gerando o barulho que denominamos de trovão.

A velocidade da luz e o som do trovão

Vemos primeiro o relâmpago e escutamos depois o trovão porque a velocidade da luz é muito mais rápida do que a do som. Em geral, o trovão se constitui de um grande estouro, mas, dependendo da região ou da formação do terreno, ele pode reverberar em múltiplos ecos, especialmente em cidades com muitos túneis e prédios.
Popularmente, podemos estabelecer a distância de um raio em relação ao observador contando os segundos entre a percepção do relâmpago e a escuta do trovão. Cada segundo que separa os dois eventos representa em média 300 metros de distância.
O espetáculo de luz e som gerado pelos raios é uma combinação da vibração das partículas de ar e a perturbação das forças elétricas na atmosfera terreste. Esse fenômeno incrível mostra toda a força da natureza e a nossa insignificância frente aos grandes eventos climáticos.
FONTE(S) 
Resultado de imagem para trovão

 

Angelina Joli

NOTA DE PESAR


É com profundo pesar que a Prefeitura de Rolim de Moura comunica o falecimento de Jose de Paula Teixeira, 63 anos, servidor público municipal de carreira havia mais de 28 anos.
"Zé de Paula", como era carinhosamente conhecido, morreu nesta madrugada  na capital Porto Velho. Seu corpo está sendo transladado para Rolim de Moura.
O velório está marcado para acontecer na Igreja Batista Koinonia, na Av. 25 de Agosto, próximo à Caerd. Em nome de todos os servidores deste município, nosso sentimento de luto e condolências à família.
Prefeitura de Rolim de Moura - Gabinete do prefeito Cesar Cassol

CHEGANDO DA ESCOLA - TA COM O FUTURO GARANTIDO

Conheça materiais e produtos que ajudam as mães modernas

Liquidificador que não quebra, ferro que não queima a roupa, geladeira que ajuda nas compras e aspirador inteligente estão entre novas facilidades para a casa

Com a vida cada vez mais corrida, mães precisam se dividir entre a atenção à casa e aos filhos e à jornada profissional. Para ajudar as mulheres nessa dupla rotina, a indústria cria facilidades. Talvez você não saiba, mas há no mercado utensílios e materiais que não quebram, não queimam e até são capazes de trabalhar sozinhos. Tudo para poupar tempo e energia da mãe moderna.

Entre os produtos feitos com materiais super resistentes estão os liquidificadores inquebráveis. O copo, feito com vidro especial, resiste a qualquer queda. Se você derrubar, o trabalho vai ser limpar a bagunça, mas não será preciso juntar os cacos. E você ainda pode acrescentar alimentos fervendo ou congelados sem medo. Um exemplo dessa modernidade doméstica é a linha Duravita, da Philips, que traz a inovação aos lares.
Na linha de materiais há ainda as toalhas de mesa chamadas ‘sempre limpas’. Esses produtos recebem uma impermeabilização especial que faz com que a sujeira não seja absorvida pelo tecido. Um simples pano úmido é capaz de remover uma mancha. Se não sair dessa forma, uma passada na máquina de lavar é garantia de toalha limpa novamente.
 
ferro_philips (Foto: Divulgação Philips)Ferro de passar que não queima as roupas é
uma das facilidades para as mães de hoje
Você é daquelas que esquece ou já esqueceu o ferro de passar roupa ligado? Além de queimar suas coisas, há risco de incêndios. Mas a linha PerfectCare, também da Philips, revolucionou o mercado criando um ferro de passar que não queima nenhum tipo de tecido, mesmo se o usuário esquecê-lo ligado sobre a roupa. Com um potente sistema de vaporização, o produto conserva temperatura estável para não deixar queimar. A tecnologia resulta em mais roupas passadas em menos tempo e 100% de segurança.

Da área de serviço para cozinha
Se você não se dá bem com o fogão, existe panela capaz de ensiná-la a cozinhar. A facilidade é comandada via aplicativo de smartphone. A panela contém três sensores e um chip de computador que se comunicam com o aplicativo. Ela é capaz de medir as quantidades dos ingredientes e ajudar o cozinheiro a acertar a mão, até mesmo no sal. O aplicativo da panela já vem com 1 mil receitas. Nada mal.

E que tal uma geladeira que ajuda a fazer as compras? Um modelo consegue calcular a quantidade de leite armazenada em seu interior. O sistema monitora o jarro de leite e fornece atualizações em tempo real sobre a quantia e o estado de leite que ainda resta. Outra linha avisa se os alimentos estão vencidos (desde que você insira as datas de validade de todos os itens), avalia o que está faltando e até sugere uma lista de compras.

As fãs de tecnologia também vão adorar um robô aspirador de pó que faz todo o trabalho sujo sozinho. Ele é capaz de rastrear a sujeira, passar sobre tapetes sem ficar preso e evitar obstáculos, até mesmo escadas. Depois de limpar a peça toda, o robô volta para sua base para recargar. Seu único trabalho será retirar a sujeira armazenada no compartimento.

Portanto, mamães não se desesperem. Além dos maridos e filhos, sempre há mais gente pensando em vocês, no caso, tentando facilitar a sua vida.

TRATAMENTO PARA O USO DE CRACK


O poder do crack

Crack é uma droga ilícita, ou seja, uma substância psicoativa de ação estimulante do sistema nervoso central. O crack é um subproduto da pasta da cocaína, droga extraída por meio de processos químicos, das folhas da coca (Erythroxylum coca), uma planta originária da América do Sul.

crack drogaProdução

O crack surgiu como opção para popularizar a cocaína, pelo seu baixo custo. Para a produção do crack, uma mistura de cocaína em pó (ainda não purificada) dissolvida em água e acrescida de bicarbonato de sódio (ou amônia) é aquecida. O aquecimento separa a parte sólida da liquida. Após a parte sólida secar, é cortada em forma de pedras. Por não passar pelo processo final de refinamento pelo qual passa a cocaína, o crack, possui uma grande quantidade de resíduos das substâncias utilizadas durante todo o processo. Prontas para o consumo, as pedras podem ser fumadas com a utilização de cachimbos, geralmente improvisados. Ao serem acesas, as pedras emitem um som, daí a origem do nome “crack”.

Efeitos do Crack

Os efeitos do crack são basicamente os mesmos da cocaína: sensação de poder, excitação, hiperatividade, insônia, intensa euforia e prazer. A falta de apetite comum nos usuários de cocaína é intensificada nos usuários de crack. Um dependente de crack pode perder entre 8 e 10 kg em um único mês.
Por ser inalado, os crack chega rapidamente ao cérebro, por isso seus efeitos são sentidos quase imediatamente - em 10 a 15 segundos - no entanto, tais efeitos duram em média 5 minutos, o que leva o usuário a usar o crack muitas vezes em curtos períodos de tempo, tornando-se dependente. Daí o grande poder de causar dependência do crack. Após tornar-se dependente, sem a droga o usuário entra em depressão e sente um grande cansaço, além de sentir a “fissura”, que é a compulsão para usar a droga, que no caso do crack é avassaladora. O uso contínuo de grandes quantidades de crack leva o usuário a tornar-se extremamente agressivo, chegando a ficar paranóico, daí a gíria “nóia”, como referência ao usuário de crack. Problemas mentais sérios, problemas respiratórios, derrames e infartos são as consequências mais comuns do uso do crack.

História

Inicialmente o crack foi disseminado nas classes mais baixas da sociedade, embora atualmente já não se restrinja somente a elas. Nos centros das grandes cidades é comum ver os moradores de rua - de todas as idades, inclusive as crianças - fazendo uso desta droga. Cabe a reflexão sobre a origem daquelas pessoas: muitos já nasceram em condições de miséria comparáveis a aquela em que estão, mas certamente muitas daquelas pessoas, hoje a margem da sociedade, tinham toda uma vida estruturada, vida essa que trocaram pelo crack.
O uso do crack e suas consequências tornam possível dizer que atualmente o crack tornou-se uma epidemia, portanto, uma questão de saúde pública.
Referências:
BRASIL. Portal do Ministério da Saúde. Disponível em:



O cérebro pode tomar decisões enquanto dormimos

De acordo com um estudo recente, o nosso cérebro não desliga quando dormimos, continua a processar informações que podem ajudar a tomar decisões.


O seu cérebro não desliga quando você vai dormir, de fato, um estudo recente mostrou que ele permaneça em silêncio ativo, e pode processar informações para ajudá-lo a tomar decisões, assim como quando você está acordado.

Saiba mais: 20 fatos científicos sobre o sono

Um novo estudo conduzido pelos cientistas Sid Kouider e Thomas Andrillon da École Normale Supérieure de Paris, em França, investigou a atividade dos nossos cérebros enquanto estamos dormindo.

Os resultados podem ter implicações para o Santo Graal de busca da humanidade para se tornar cada vez mais inteligente – a aprendizagem enquanto dormirmos.

Estudos anteriores demonstraram que, em vez de desligar do nosso meio ambiente, quando dormimos, os nossos cérebros mantêm-se em funcionamento, para pegar informações importantes e relevantes para nós.

Isto significa que estamos mais propensos a acordar quando ouvimos alguém dizer nossos nomes, ou quando os nossos alarmes tocam de manhã, do que aos sons de um gato, carros a passar, ou o relógio de cuco.

Saiba mais: 7 distúrbios do sono que o vão assustar

Kouider e Andrillon descobriram que os estímulos complexos do nosso meio ambiente não só podem ser processados pelo cérebro quando dormimos, mas também podem ser usados para tomar decisões.

É como o que acontece no seu cérebro quando você está dirigindo seu carro todos os dias - você tem que processar tanta informação de uma só vez e tão rapidamente, para operar com segurança o seu veículo, mas está tão acostumado com isso, que nem nota isso acontecer.

O mesmo conceito parece aplicar-se aos processos de tomada de decisão quando estamos dormindo. É claro, as peças no nosso cérebro associadas à atenção e ao seguir instruções estão desligadas quando dormimos, por isso não podemos começar a executar uma nova tarefa.

Saiba mais: 8 mitos do sono que atrapalham o descanso

Mas o que Kouider e Andrillon queriam saber é se a tarefa for executada mesmo antes de dormir, o cérebro continuava a trabalhar sobre ela, mesmo depois de o participante adormecer.

Para isso, realizaram experimentos em que os participantes deviam categorizar palavras faladas em duas categorias: palavras que se referiam a animais ou objetos, por exemplo," gato "ou" chapéu" em um primeiro experimento.

Em seguida, palavras reais como "martelo" versus pseudo-palavras (palavras que podem ser pronunciadas, mas não são encontrados em nenhuma parte do dicionário) como "fabu" em um segundo.

Os participantes deveriam indicar a categoria da palavra que ouviram, pressionando um botão para a esquerda ou direita. Assim que a tarefa se tornava mais automática, eles podiam continuar a responder às palavras, mas também foram autorizados a adormecer.

Saiba mais: 5 coisas que você deve saber sobre o sono

Uma vez que eles estavam deitados em um quarto escuro, a maioria deles caiu no sono enquanto as palavras estavam a ser jogadas. Ao mesmo tempo, os seus cérebros foram investigados usando eletrodos de EEG.

Assim que eles estavam dormindo, e sem perturbar o fluxo de palavras que estavam ouvindo, os pesquisadores deram as participantes novos itens das mesmas categorias.

A ideia era a forçá-los a extrair o significado da palavra (na primeira experiência) ou para verificar se a palavra era parte do léxico (na segunda experiência), a fim de serem capazes de responder.

Enquanto dormiam, os participantes pararam de pressionar os botões. Mas quando os pesquisadores analisaram a atividade cerebral, eles descobriram que os participantes ainda estavam a planear pressionar o botão.

De igual forma mostravam uma preferência para a direita ou esquerda, dependendo das palavras que estavam sendo jogadas para eles. Isso significa que, mesmo quando dormiam, os seus cérebros continuavam a preparar uma resposta para quando retomassem a tarefa no dia seguinte.

Quando os participantes acordaram no dia seguinte, não se lembravam de nada sobre as palavras a que responderam durante o sono, o que significa que todo o processo foi feito de forma inconsciente.

Então, o que isso significa para todos nós que sonhamos em aprender coisas novas, mesmo quando dormimos? É sabido que o sono consolida as informações previamente aprendidas, mas a introdução de novas informações é uma outra história.

E que sacrifícios o cérebro tem que fazer, a fim de conseguir isso? Será que os nossos sonhos começam a interferir com a nossa aprendizagem? Para um fenômeno que é fundamental para a existência de todos os animais do planeta, ainda temos muito a aprender sobre a ciência do sono. [Sciencealert]

O triplex de Lula

Léo Pinheiro, da OAS, está disposto a detonar Lula. E ele sabe tudo.
Como disse a Veja:
"De todos os empresários presos na Lava Jato, Léo Pinheiro é o único que se define como simpatizante do PT. O empreiteiro conheceu Lula ainda nos tempos de sindicalismo, contribuiu para suas primeiras campanhas e tornou-se um de seus mais íntimos amigos no poder".
E também:
"Como é da natureza do capitalismo de estado brasileiro, as relações amigáveis são ancoradas em interesses mútuos. Léo Pinheiro se orgulhava de jamais dizer não aos pedidos de Lula".
O triplex de Lula no Guarujá foi construído pela OAS e comprado por meio da Bancoop, de João Vaccari Neto e de sua cunhada. E Lula atuou como lobista da OAS no caso de uma rodovia na Costa Rica, cuja licitação, repleta de irregularidades, teve de ser desfeita.
Sim, Léo Pinheiro sabe tudo.

Coluna do Augusto Nunes

No mais cruel dos dias para quem tem culpa no cartório, revelações do empreiteiro amigo empurram Lula para o pântano do Petrolão

Neste sábado, os leitores de VEJA saberão que o empreiteiro Leo Pinheiro, transferido da presidência da OAS para uma cadeia em Curitiba, fez revelações suficientes para tirar de vez o sono de Lula e estender por prazo indeterminado o sumiço do palanque ambulante. Como ainda não assinou um acordo de delação premiada, o empresário encarcerado talvez até se desminta em outro depoimento, para socorrer o chefe e amigo. É uma opção de alto risco: essa demonstração de fidelidade lhe custará alguns anos de prisão em regime fechado.
Seja qual for o caminho escolhido, o que Pinheiro já disse (e detalhou em copiosas anotações manuscritas) basta para incorporar ao elenco do Petrolão o protagonista que faltava. No mais cruel dos dias para quem tem culpa no cartório, as relações promíscuas entre o manda-chuva da OAS e o reizinho do Brasil serão escancaradas nas oito páginas da reportagem de capa. Entre tantas histórias muito mal contadas, a dupla esbanja afinação especialmente em três, valorizadas pela participação de coadjuvantes que valorizam qualquer peça político-policial.
Num episódio, o ex-presidente induz Pinheiro a presenteá-lo com a reforma do sítio que, embora Lula o chame de seu, pertence oficialmente a um sócio do filho Lulinha. Noutro, um emissário do pedinte vocacional incumbe o empreiteiro de arranjar serviço e dinheiro para o marido de Rosemary Noronha, a ex-segunda-dama que ameaçava vingar-se do abandono com a abertura de uma assustadora caixa-preta. Mais além, o comandante da OAS cuida de desmatar o atalho que levou Lula a virar dono de um triplex no Guarujá.
A participação do ex-presidente no naufrágio da Petrobras ainda não entrou na mira da Polícia Federal. O inventor do Brasil Maravilha está a um passo do pântano sem que tenha começado a devassa das catacumbas malcheirosas que ocultam a farra das refinarias inúteis e a montagem da diretoria infestada de ineptos e corruptos, fora o resto. Pode estar aí a explicação para o estranho vídeo em que celebra as vantagens de um bom preparo físico. Vai precisar disso quando tiver de sair em desabalada carreira.

Lula: a Dilma não sobrevive sem o PT



Lula: “Dilma vai terminar o mandato sendo uma Presidenta extraordinária. A Dilma está do lado do povo"


Em discurso de abertura no Congresso do PT em São Paulo, o Presidente Lula, ao defender a história do partido, afirmou que o Governo da Presidenta Dilma precisa da sigla para sobreviver. Segundo ele, a petista e o PT têm lado, o dos mais vulneráveis.

“Dilma vai terminar o mandato sendo uma Presidenta extraordinária. A Dilma está do lado do povo. O segundo mandato tem que ser melhor que o primeiro, como num casamento”, disse Lula nesta sexta-feira (24).

No evento, ao comentar as acusações enfrentadas pela legenda nos últimos anos, Lula aconselhou que a agremiação se defenda. Para ele, o PT não  pode fazer o que criticava nos outros, quando era oposição. 

“O PT tem que ser exemplo. A gente tem que ter claro que o PT tem que ser diferente .O PT tem que defender o próprio PT das acusações que somos vítimas”, declarou ao criticar as denúncias sofridas pelo partido.

“Parece que na campanha dos outros o dinheiro é arrecadado como dízimo ou vendendo churrasco nas quermesses. Os 20 anos que o FHC pensou que eles governariam serão governados por nós”, declarou o Presidente no Sindicato dos Bancários.

“Vamos dar a volta por cima. Ninguém perde uma guerra porque perde um soldado”, analisou.

A decisão do partido de não receber recursos financeiros de empresas privadas foi classificada como “corajosa” nas palavras de Lula.  “Quero dizer da coragem do partido de tomar a decisão de não aceitar dinheiro empresarial. Quem sabe não conquistamos o direito de andar de cabeça erguida nesse país”.

Ao reconhecer o momento difícil,  Lula comentou o erro cometido com a prisão da cunhada do ex-tesoureiro da sigla, João Vaccari Neto, acusado, na Operação Lava-Jato, de receber propina. “O que não pode é prender a cunha do Vaccari de forma errada. E nem pediram desculpas. Só soltaram”, opinou.

A economia e o ajuste fiscal foram mencionados pelo Presidente. “O ajuste está feito, mas precisamos dizer o projeto de desenvolvimento que temos”, frisou.

Segundo o PT, o Congresso realizado “pretende debater e tirar diretrizes para as ações do PT na capital e preparar a militância paulista para o 5° Congresso Nacional”.

Abaixo, outras frases:

Em todos os atos que participo, parece um muro de lamentações

Tem coisas que deixamos de fazer, como ir em uma comunidade de base, em vilas.

O papel é adotarmos uma atitude para essa fase difícil que estamos em SP.

A gente se criou vendendo esperança, futuro, utopias.

O PT nunca teve nada de graça, mas conseguimos coisas que nenhum sociólogo desse país poderia imaginar.

Eles não acreditavam

Não tem nenhum partido tão plural como o PT.

A gente só queria saber se o companheiro era do lado da classe trabalhadora ou não.

Não tem nada similar ao PT no mundo.

Quando tentaram voltar para antes do período Vargas, quem se rebelou foi o PT e a CUT.

O povo nos deu o voto não para fazermos tudo igual, como estava.

Conseguimos fazer o povo ter orgulho desse país. 

Nunca um passaporte brasileiro foi tão respeitado.

Pela primeira vez na história, os pobres foram tratados como solução.

E não foi feito nenhum milagre. Só percebemos que era necessário dar ao povo o para sobreviver.

Essa revolução silenciosa.

O pobre é meu predileto que é para ele que quero governar.

Ninguém pode se queixar.

A gente viu na última eleição a agressividade contra o PT.

Ninguém nunca governou esse país por 16 anos como o PT

Somos o incomodo para algumas pessoas pelas coisas boas que fizemos.
Não queremos retrocesso [sobre o PL 4330, que regulamenta a terceirização]

Alisson Matos, editor do Conversa Afiada