domingo, 23 de julho de 2017

Fundo eleitoral pode superar orçamentos de 16 capitais

SÃO PAULO — Se a versão atual do texto da reforma política for aprovada pela Câmara, os partidos terão um orçamento para gastar na eleição de 2018 de fazer inveja à maioria das prefeituras brasileiras. A estimativa é que R$ 3,6 bilhões em recursos públicos deixem os cofres da União para bancar as campanhas, quantia que mais da metade das capitais (16 das 26) não têm à disposição por ano para governar. Sete partidos receberão a maior fatia do bolo bilionário (PMDB, PT, PSDB, PP, PSD, PR e PSB). Em cinco deles, os escalados para a função de tesoureiro são alvos de investigações ou citados em delações da Operação Lava-Jato.

A injeção oficial de dinheiro público nas campanhas foi a solução encontrada pelos partidos para compensar a proibição das doações por pessoa jurídica. Essas sempre bancaram parte expressiva das despesas dos candidatos, mas, desde 2015, estão vedadas. Em 2014, elas somaram quase R$ 4 bilhões numa eleição cujos gastos totalizaram R$ 5,1 bilhões.
Pela proposta costurada entre as lideranças partidárias, um fundo eleitoral (Fundo Especial de Financiamento da Democracia), seria criado e abastecido com verba pública a cada eleição. Para 2018, ele receberia 0,5% da receita corrente líquida da União — cerca de R$ 3,6 bilhões — e, a partir de 2020, o valor cairia para 0,25%.
O montante supera os orçamentos de 2017 de prefeituras como Florianópolis (R$ 2,3 bilhões), Cuiabá (R$ 2,2 bilhões) e da maioria das capitais do Nordeste.
—Teremos um dos sistemas eleitorais mais caros do mundo para o Estado — afirma o professor da UFRJ e especialista em eleições, Jairo Nicolau.
Além do recurso público, partidos e candidatos poderão continuar captando doações de pessoas físicas e usando o fundo partidário. Por outro lado, o autofinanciamento — uso de recursos próprios — ficaria proibido a candidatos a presidente, governador, prefeito e senador. Seria liberado para postulantes a vereador e deputado estadual e federal, até 5% dos gastos da campanha.
E

O uso de dinheiro público nas eleições faz crescer a preocupação com a fiscalização das contas de campanha. Para especialistas, o assunto, entretanto, tem sido renegado a segundo plano na Câmara.
— Com a distribuição de dinheiro a milhares de candidatos pelo país, a fiscalização das contas tem que ser mais eficiente. O que a Justiça faz hoje é superficial — diz Nicolau.
— Os parlamentares discutiram só o que interessa a eles, que é encontrar uma fonte de recursos para substituir a doação de pessoa jurídica. O interesse da sociedade, que é a fiscalização desses recursos, não está sendo debatido — argumenta o diretor do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), Luciano Santos.
Para ambos, o financiamento público tornou-se inevitável com o fim das doações empresariais, uma vez que o Brasil não tem a cultura de doação por pessoa física. O MCCE defende que a centralização nos partidos da prestação de contas dos candidatos facilitaria a fiscalização.
SIGILO DE IDENTIDADE
— Achamos que o número de candidatos em 2018 vai aumentar com a oferta de dinheiro público. Para que a Justiça possa fazer um trabalho mais criterioso de análise das contas, já que agora tem dinheiro público em jogo, propomos que os partidos fizessem essa prestação. Reduziria as contas para analisar. Mas não foi aceito — completou Santos.
No projeto da reforma política, a única referência à fiscalização das campanhas é para permitir que a Justiça peça reforço de pessoal aos tribunais de contas se necessário.
As novas regras para o financiamento das campanhas traz outra polêmica. Doadores que contribuírem com até três salários mínimos teriam o sigilo de sua identidade garantido. Hoje os partidos são obrigados identificar todos os doadores.
—É o contrário do que clamam as ruas — reage Santos.



 

MunicípioOrçamento 2017 (em bilhões de R$)
Macapá (AP)0,8
Rio Branco (AC)0,8
Boa Vista (RR)1,1
Palmas (TO)1,3
Porto Velho (RO)1,3
Vitória (ES)1,5
Aracaju (SE)1,8
Cuiabá (MT)2,2
Florianópolis (SC)2,30
Maceió (AL)2,30
João Pessoa (PB)2,5
Natal (RN)2,5
São Luís (MA)2,7
Teresina (PI)3
Belém (PA)3,2
Campo Grande (MS)3,5




Rolim de Moura - Tribunal Eleitoral inicia recadastramento para biometria no dia 09 de agosto


foto biometria


O Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) iniciará o recadastramento biométrico em Rolim de Moura (RO), a partir do dia 09 de agosto. De acordo com o órgão, todos os eleitores deverão a fazer a atualização cadastral, obrigatória, até o final de outubro.

Para atender aos eleitores do município, uma central de atendimento será montada no Teatro Municipal Francisca Verônica de Carvalho, localizado na Praça Durvalino Oliveira no Centro da Cidade. O atendimento acontecerá das 08h às 17h de segunda à sexta-feira.

Para fazer biometria, o cidadão deverá apresentar um documento oficial com foto, comprovante de domicílio e, caso possua, título de eleitor. O chefe do cartório Randerson Lima, pede que a população não deixe para última hora, evitando a formação de filas. Quem não se recadastrar terá o título de eleitor cancelado. Além disso, não poderá se inscrever em concurso público, renovar matrícula em escolas e universidades, tirar passaporte, RG e CPF, receber remuneração, e se for funcionário público, não poderá requerer aposentadoria no INSS.



Linha 180 Sul recebe reparos nunca vistos antes



  A linha 180 lado Sul no município de Rolim de Moura está passando por uma verdadeira transformação, graças ao empenho do Prefeito Municipal e a parceria realizada com a Câmara Municipal, através de seu Presidente Aldair Julio Pereira “Aldo Júlio” – PMDB, que não tem medido esforços nos sentido de buscar recursos junto ao Governo do Estado e Assembléia legislativa no intuito de dotar as vias de condições de trafegabilidade não somente no período da seca, mas que também no período do inverno amazônico se possa transportar a produção e a clientela escolar com segurança e a garantia de que não deixará as vias intransitáveis como vinha acontecendo em anos anteriores.
  Na linha 180 lado sul, os locais críticos e que sempre apresentam problemas no período das chuvas, estão sendo levantados em até 1,20 metros, cortando as laterais e construindo corredores nas laterais para que as águas das chuvas e até as nascentes que aparecem no período das chuvas não provoquem erosões no meio das vias e consequentemente atoleiros. Para o Vereador Aldo Júlio, não se pode esquecer também a parceria com o Deputado Federal Luiz Cláudio, cujas emendas, proporcionaram a compra de vários maquinários novos, muitos dos quais estão sendo usados na recuperação da linha e, de outras linhas vicinais, ruas e avenidas do município.

  “è um trabalho nunca visto antes, Lembramos que em anos anteriores as crianças da comunidade faltaram por vários dias às aulas por falta de trafegabilidade na via, o que não deverá mais acontecer, pois os trabalhos que estão sendo realizados são de muita qualidade, previamente estudado e será cascalhado posteriormente. Sabemos das dificuldades do município, mas entendemos também que com planejamento podemos realizar outros trabalhos necessários, com é o caso da Linha 172 que também deverá passar por uma transformação em breve”, disse o Presidente da Câmara Aldair Julio Pereira “Aldo Júlio” – PMDB, que aproveitou também para agradecer ao Prefeito Municipal “Luizão do Trento” que ouviu os reclames da comunidade e, que não tem medido esforço no sentido que seja um serviço que orgulhará todos os moradores daquela localidade.

Rolim de Moura - Prefeito Luizão realiza prestação de contas com os Presidentes de Associações Rurais

Ricardo Barros Silva barrosjornalista@gmail.com

Anexos21 de jul (Há 2 dias)





O Prefeito de Rolim de Moura (RO), Luizão do Trento (PSDB), focando na transparência, realizou na manhã desta sexta-feira (21/07) em seu gabinete na Prefeitura, uma reunião com os Presidentes das Associações Rurais do município, com a finalidade de apresentar a prestação de contas de sua gestão referente ao período do ano de 2016 ao mês de maio de 2017.

Além de apresentar dados importantes das ações executadas pela Administração Municipal, o Prefeito e o Secretário de Agricultura Dionísio Pereira ouviram algumas demandas dos presidentes.

De acordo com o Executivo Municipal, essa prestação de contas será apresentada em todas as Associações Rurais e logo após, nos bairros e entidades na zona urbana de Rolim de Moura.

Entidades recebem feijão do PAA em Rolim de Moura

Ricardo Barros Silva barrosjornalista@gmail.com

Anexos22 de jul (Há 1 dia)
 

Na manhã desta sexta-feira (21/07), A Secretaria Municipal de Agricultura de Rolim de Moura (RO), Secretaria de Estado da Agricultura (SEAGRI) e a EMATER-RO distribuíram através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) em Rondônia, 2.000 quilos de feijão.
As entidades beneficiadas foram: Associação do Bairro Cidade Alta 180 kg; Associação do Bairro Centenário 180 kg, Escola Tancredo 300 kg; Escola Lira 240 kg; Escola Monteiro Lobato 240 kg; Hospital Municipal 380 kg; Igreja Wesleyana 180 kg e Pastoral do Menor 300 kg.
O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) promove o acesso a alimentação às populações em situação de insegurança alimentar e a inclusão social e econômica no campo por meio do fortalecimento da agricultura familiar.
O Programa propicia a aquisição de alimentos de agricultores familiares, com dispensa de licitação, a preços compatíveis aos praticados nos mercados regionais. Os produtos são destinados a ações de alimentação empreendidas por entidades da rede sócio assistencial, equipamentos públicos de alimentação e nutrição como: restaurantes populares, cozinhas comunitárias, bancos de alimentos, escolas, associações e para famílias em situação de vulnerabilidade social.
 

A Fazenda mapeou a ruína do Fies petista

É assim que se tiram milhões da pobreza...E entrega aos milionários da educação privada.

 
Elio Gaspari
Folha de São Paulo

Um estudo do Ministério da Fazenda expôs a ruína que o comissariado dos ministros Aloizio Mercadante e Fernando Haddad produziu no programa de financiamento para estudantes de curso superior, o FiesFizeram a farra das faculdades privadas expandindo a carteira de empréstimos de 600 mil contratos em 2012 para 1,9 milhão em 2015No interesse das empresas, davam-se empréstimos a quem tirava zero na prova de redação do Enem e praticamente dispensava-se o fiadorO saldo das operações do Fies cresceu 1.000% em quatro anos e ao final de 2016 chegou a R$ 61,9 bilhões.

Naquele ano o Bolsa Família custou R$ 28,6 bilhõesEram programas essencialmente diferentes, mas o governo permitiu que o Fies fosse percebido com um programa de bolsas. Estudantes que tinham acesso a outras formas de financiamento migraram para a bolsa da ViúvaA Fazenda calculou que a inadimplência (51,4%) e os subsídios levarão o Fies a gerar um espeto de R$ 11 bilhões em 2024.

A farra inflacionou os preços das mensalidades e engordou grandes empresas do setor. O estudo, assinado por dez técnicos do Ministério da Fazenda, chega ao final com uma questão óbviaexistindo o ProUni, que beneficia o mesmo público, não havia por que expandir o Fies. Não havia nem há, a menos que o nome do jogo continue sendo jogar dinheiro da Viúva nos cofres dos donos de faculdades. O programa do Fies foi remodelado há poucas semanas. Tomara que dê certo.

O que é aquela substância branca esquisita na gema do ovo? Conheça a chalaza

ovo é um dos ingredientes básicos da dieta no mundo inteiro.
Você provavelmente já fritou, misturou com farinha ou até mesmo comeu ovos crus, à lá Rocky Balboa.
Mas não importa quantas vezes você tenha quebrado um ovo, uma coisa sempre te deixou, no mínimo, um pouco intrigado. Que diabos é aquele fio branco meio gosmento grudado na gema?
Tenha o prazer de conhecer a chalaza.
Relaxe. Apesar da aparência esquisita, não é um cordão umbilical.
The Huffington Post

Lista de sintomas ajuda a identificar uso excessivo do celular

Como é sua relação com o celular, a internet e as redes sociais? Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro listaram sintomas que podem ajudar a identificar quem está exagerando.
“É. Muitas vezes eu tenho que repetir tudo que eu falei de novo, porque ela simplesmente não prestou atenção em nada”, diz Mateus Guedes Gonçalves, de 13 anos.
“Ela toma café da manhã com o celular na mão. Ela não larga”, conta a aposentada Ana Clara Guedes.
As reclamações são do filho e da mãe da Melissa. Ela usa o celular pra trabalhar, mas reconhece que passou dos limites.
“Eu confesso que eu acordo com o celular na mão, às vezes durmo com o celular na mão. Várias vezes acordo de madrugada, estou com os óculos ainda no rosto, estou com o celular assim”, assume a motorista Melissa Rodrigues Guedes.
Pelos estudos da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Melissa se encaixa num diagnóstico.
“É vício. Toda compulsão - droga, bebida, jogo e internet - acaba trazendo uma, um estímulo a um núcleo cerebral que é o núcleo do prazer.  E a pessoa fica dependente desse prazer”, explica o psiquiatra e professor da UFRJ Antonio Egídio Nardi.
E ela tem milhões de parceiros Brasil afora. A gente fez um desafio em um café num shopping, para ver se conseguia encontrar uma mesa sem celular. Não conseguimos encontrar nenhuma em todo o espaço. Dava para observar e medir os níveis de dependência. Você, por exemplo, deixa de lado o celular enquanto come? Tem muita gente que não consegue.
Garfo, prato e celular, tudo junto. Os especialistas definiram os sintomas que podem indicar uma dependência acima do normal. São sentimentos como o abandono. Ou a solidão. Se você ignora as pessoas ao lado e só se comunica pela internet. Ou sente que está afetando o relacionamento.
“Se torna preocupante a partir do momento que se percebe que está tendo um prejuízo na vida real e que você perde o controle. Aí é o momento de fato de pedir uma ajuda profissional”, aponta Eduardo Guedes, pesquisador do Instituto Delete.
É melhor procurar ajuda do que se arriscar sozinho.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Morre Marco Aurélio Garcia

Morreu nessa quinta-feira, 20, o ex-assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais e ex-presidente do PT, Marco Aurélio Garcia. Um dos principais formuladores da política externa durante a gestão Dilma Rousseff , ele foi vítima de um ataque cardíaco fulminante.
Garcia era professor aposentado do Departamento de História das Universidade de Campinas (UNICAMP).

EMENDAS PARLAMENTARES


Emenda parlamentar, como o próprio nome indica, as emendas parlamentares são feitas por membros do parlamento, que são os representantes do Poder Legislativo do país. 

 Com  a aprovação da Emenda Constitucional 86 de março de 2015, conhecida como PEC do orçamento impositivo, foi estabelecido um valor mínimo para as Emendas Parlamentares. Esse valor equivale a 1,2% da receita corrente líquida do ano anterior, algo em torno de R$ 10 bilhões em 2016.
Isso significa que  dos  513 deputados federais e 81 senadores, cada um tem direito a uma cota  de pouco mais de R$ 15 milhõesmetade desse  valor   precisa ir para a saúde. 
As emendas parlamentares seriam uma forma de descentralizar o orçamento, aumentando a participação de deputados e senadores no processo de definição do uso do dinheiro público. Entretanto, há muitos indícios de que esse instrumento foi descaracterizado e tornou-se uma porta para esquemas de corrupção.

É tanto verdade, que governos com problemas para aprovarem reformas do seus interesses e tambem para se manterem no poder, fazem uso da liberação de Emendas Parlamentares para conseguirem  apoio destes. 


A presidente Dilma Rousseff pagou R$3,2 bilhões para tentar se livrar do impeachment. Já o presidente Michel Temer, j liberou R$1,8 bilhão para aprovar reformas e  se manter no poder.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Um oportuno texto de um Juiz de Direito. A sugestão é de Manoel Emidio De Sousa Neto

 

PERGUNTEM AO ZELADOR
Hélio David Vieira Figueira, juiz de Direito

José Afonso Pinheiro, 47 anos, zelador, foi demitido de sua função no edifício Solaris, porque prestou depoimento ao Ministério Público relatando ser do conhecimento geral que o triplex 164-A era de propriedade de Lula.

É apenas um pequeno drama de um desempregado a mais, num total de 14% de brasileiros desempregadosNinguém se preocupa com eleA diferença é que José Afonso não foi demitido pela crise econômica e sim porque procurou colaborar com uma investigação criminal, cumprindo um dever cívico a que muitos se esquivariam.

Enquanto isso, a esquerda artística do país, doente de uma cegueira patológica, como é o caso de Chico Buarque de Holanda ou Caetano Veloso, ou então, órfã dos empréstimos a fundo perdido da Lei Rouanet, tão facilmente distribuídos pelo governo lulista, já se agita contra a condenação de Lula e os ideólogos profissionais do partido, bem remunerados, manipulam seu público.

A verdade é que a sentença de Sergio Moro é um primor de objetividade e clareza. É preciso lê-la. A conclusão está amparada com solidez em todos os argumentos que foram considerados. Não se pode lutar contra os fatos, mas para a visão distorcida dos lulistas, apenas a confissão dele serviria como prova, e mesmo assim, exigiriam o perdão judicial pelo bem que fez ao Brasil… Os fatos, esses são irrelevantes.

Essa gritaria só mostra o grau de nossa incivilidade. Mais de 13 anos de aparelhamento do Estado produziram um grande estrago. Toda uma geração foi afetada pela retórica que recobria esse assalto às instituições. O resultado foi esse fascismo de esquerda, a hostilização da Justiça que pune corruptos, a Justiça passa a ser o inimigoSempre há um inimigo no populismo. Não haverá tréguas à Justiça, embora todo lulista assaltado na rua queira a cabeça do ladrão.

O advogado de Lula, agora, perdeu completamente o pudor. Ofende publicamente o juiz, sente-se coberto ele próprio pela impunidade que o prestígio político de seu cliente lhe dá. É um sobrevivente da advocacia sem ética. Quer buscar justiça na ONU, mas a opinião pública internacional sabe muito bem do que trata a Operação Lava-Jato e sabe a posição de Lula nesse contexto. Pode falar em lawfare à vontade, porque os investidores americanos sentiram na pele os efeitos do Petrolão e sabem quem governava o país na época. Essa retórica não engana mais ninguém.

Lula faz parte da história do BrasilDepois de morto e à medida que a História se afastar das paixões, será lembrado como um corrupto populista, como alguém que elevou a corrupção ao modelo político de gestão de Estado, em proporções nunca vistas na história da humanidade.

É com isso que ele deveria estar preocupado, com o seu julgamento póstumo e não com essa atitude farsesca de inocênciaPor causa dele, um brasileiro simples e pai de família, perdeu o emprego.

Todo o meu respeito a José Afonso Pinheiro.

"TOMA LÁ DÁ CÁ"

A história nos mostra que o  uso da máquina pública para garantir a vitória do partido do governo no Brasil vem desde o tempo do Império, isso sem falar da fraude e da violência. A distribuição de cargos, a substituição de juízes, o aumento de salários de servidores e a nomeação de novos presidentes de província - aos quais cabia comandar, com mão de ferro, o processo eleitoral - foram rituais repetidos nas 18 eleições ocorridas durante todo o Segundo Reinado (1840-1889).
Já naquela época o "toma lá dá cá" fazia parte da cultura política e não havia quem pudesse vencer uma eleição sem  fazer uso desta prática, que persiste de forma visível até os dias atuais.
O "toma lá dá cá" no  Brasil é praticado de forma plural e que nem a reflexão da luz, mas em  2014 o inusitado acontece. Parte do que existia de fato mas não existia de direito é  transformado em Lei através do Decreto 8.367/14, em especial seu artigo que diz o  seguinte: ficam liberados cerca de R$ 10 bilhões para emendas parlamentares, desde que  haja a aprovação do Projeto de Lei 36/14. Caso não aprovado, será feita nova proposta para o uso desse dinheiro. Por outras palavras: ou os parlamentarem aprovam o referido Projeto de Lei (PLN) ou a verba que inseriram no orçamento para fazer frente à suas políticas locais não será liberada.

 Durante a Constituinte 87/88 o deputado federal paulista Roberto Cardoso Alves, um dos lideres  do Centrão, que buscava se contrapor às teses dos movimentos de esquerda, fez uso do  "toma lá dá cá" disfarçado de oração de São Francisco onde  dizia:  “é dando que  se recebe". A bem da verdade, isso não acontece só no Brasil, mas aqui no pais do carnaval das mulatas e do futebol acontece de forma exagerada e visível
Nos dias atuais o professor de Direito Constitucional e presidente do Brasil, motivado pelo o grau de desconfiança recíproca que está presente nas bases do governo, a chama de “base aliada” e, com o temor de um “fogo amigo” , tem praticado o "toma lá dá cá" sem medo e nem pudor de tal monta que não disfarça seu desespero e apego pelo o cargo de presidente da republica. 
Em Rondônia, o senador Valdir Raupp, sabedor que mesmo denunciado na Operação Lava Jato, não terá nenhum impedimento legal para disputar sua reeleição e, em benefício próprio, claro, mas de forma positiva para o estado e, tendo ainda como poder de barganha o voto da deputada Marinha Raupp, está fazendo uso do  "toma lá dá cá", com  toda sabedoria que lhe é peculiar.
Não voto mais no senador Raupp, mas tenho que reconhecer  que 80% ou até mais de todos os recursos liberados para Rondônia nos últimos anos tem a sua rubrica e a rubrica da deputada marinha Raupp. Acho que fez pouco por Rolim de Moura, com certeza  poderia ter feito bem mais. Como acho ainda que tanto Expedito Júnior como o senador Ivo Cassol poderiam terem feito bem mais e não fizeram. 

terça-feira, 18 de julho de 2017

POR - FERNANDO GARCIA

Resultado de imagem para FOTO DO JORNALISTA FERNADO GARCIA JORNAL FOLHA DA MATA

Porta aberta 15 de julho de 2017

Aprovaram
O estacionamento construído pela prefeitura na Barão de Melgaço, próximo à 25 de Agosto, dá pra se notar a diferença dos demais construídos recentemente. Além de atender as exigências dos usuários no que tange números de veículos por espaços, os proprietários de automóveis e comerciantes estabelecidos nos arredores, estão elogiando o método diferenciado do estacionamento.

Críticas
É que os estacionamentos construídos  ano passado, para melhorar a vida dos proprietários de veículos, em nada adiantou, visto que os locais que poderiam suportar um número de dez veículos, comportam apenas uns três carros, ou seja, em quase nada melhorou para os motoristas que não encontram espaços para estacionamento. Quando estacionam os veículos em vários locais da cidade, o risco de acidente é muito grande, principalmente nos finais de semana, próximo aos bares e lanchonetes da cidade.

Trafegabilidade
A Secretaria Municipal de Obras Públicas de Rolim de Moura (Semosp), poderia viabilizar a construção de uma galeria da 25 de Agosto com a Jamari, posto, que aquela artéria é de grande valia para à população. É preciso melhorar a trafegabilidade em Rolim de Moura, principalmente nesse local, onde muitos se deslocam para os colégios Clarice Lispector, Cândido Portinari, Carlos Drumond de Andrade e também para a Delegacia regional de Polícia e Unisp.

Feito a proposta
Tá aí, uma boa reivindicação que até mesmo os nobres edis, poderão carrear esses recursos através de seus deputados na Assembleia Legislativa. Nessas romarias feitas pelos nossos vereadores na capital do Estado, não tenho dúvida que pedidos dessas envergaduras, seriam prontamente atendidos por uma meia dúzia de deputados que tiveram bastantes votos no município e, outros, que também estão de olho no “sacolão” eletrônico das urnas ano que vem.  


Insatisfação
Está gerando muitas reclamações de setores da população, que se deslocam para a Praça  dos Três Podres, em Rolim de Moura.  É que a rua Corumbiara que da acesso a vários órgãos públicos naquelas adjacências, a Polícia Militar, com intuito de diminuir a velocidade naquela artéria, colocou vários clones, onde impede a circulação de carros de grandes portes  que ficam  impossibilitados de circularem no local, uma vez que a distância impedem de fazer as manobras necessárias para desvencilhar-se dos clones.  

Até quando!
Enquanto isso, a Praça dos Três Poderes, continua sendo palco dos amantes da velocidade durante todo decorrer do dia, uma vez que os motoristas irresponsáveis não obedecem às faixas de sinalizações. Embora seja um local  com bastante circulação de pedestres, que recorrem aos serviços da Prefeitura, Ministério Público, Defensoria Pública, Câmara de Vereadores, INS, Justiça do Trabalho, Rolim Previ, Forum, Emater, Sindicato dos Trabalhadores, Cartórios, Correios, Sefaz, Cartório Eleitoral, OAB,  Conselho Tutelar e uma gama de escritórios de advocacia, ninguém se importa com a pista de velocidade, até que alguém perder a vida.

Tá na hora
Com a ausência do Rolim de Moura Esporte Clube, da competição estadual desse ano, também não se vê falar na organização da equipe para o ano que vem na competição do campeonato estadual. Seria de bom alvitre que a diretoria se pronunciasse sobre o assunto e, colocasse em pauta um chamamento, para quem desejar se candidatar ao cargo maior da entidade. Apesar de nunca ter sido campeão da competição, a equipe chegou a disputar um único jogo pela Copa do Brasil, no estádio Cassolão.

Vamos nessa
Uma das expectativas é que o radialista e presidente da Câmara de Vereadores, Aldo Júlio, encabece esse movimento que tanto agitou a comunidade esportiva do município e região. Quando não tínhamos estádio, tínhamos uma grande equipe disputando os jogos em Santa Luzia, hoje, com um estádio bem estruturado, apenas pequenos torneios estão sendo realizados, é o fim da rosca como diz meu colega Valdir Costa. Se tivermos uma chapa forte com nomes como Aldo Júlio, Sérgio da Morcegão, Arno Voigt, Paraibinha,  Marcelo Redel, sem dúvida estará bem representada no meio político e empresarial.
Briga boa
A briga pelos preços baixos da gasolina, entre os proprietários de postos de gasolina Miriam e Manelão, está agradando aos consumidores. Antes às discussões entre os consumidores era pra falar de cartel, hoje, os proprietários de veículos estão dando preferência quase que total para os dois postos de gasolina, que disputam os consumidores através de preços baixos que chega até três reais e sessenta e três centavos, que bom!

Mídia
Dos noves vereadores da Câmara Municipal de Rolim de Moura, dois vem se destacando em suas proposituras, indicações e requerimentos junto ao poder executivo e, principalmente para a comunidade. É que os vereadores Uender Nogueira e o Delegado Murari, estão utilizando as ferramentas tecnológicas, através do facebook, e  watsap,  para interagir com os internautas, e evidentemente prestando satisfação aos seus eleitores.

Aporrinhando
O secretário de Saúde do município de Rolim de Moura, Dr. Tenório, tem esmerado bastante para melhoria da saúde, inclusive dando mais humanização no atendimento, que antes era sufocante. O atendimento é rápido, não existindo mais aquelas longas esperas, entretanto, vale salientar, que a falta de medicamentos ainda continua sendo o verdadeiro calcanhar de Aquiles.  

Cadê os remédios!
A promessa de enviar medicamentos por parte do Governo do Estado, continua  em vão, onde nem  mesmo remédio para destruir lombrigas não consegue chegar. Apesar de alguns meses atrás, vereadores aliados do (PMDB), afirmarem que o casal Marinha e Valdir Raupp, tinham  intermediado a situação, até agora só chegou promessas. Se os remédios tivessem chegados, muitas despesas não seriam necessárias, como transportar pacientes para a capital do Estado, gerando diárias, gasto com combustível e depreciação do veículo, sem falar no sofrimento do paciente  nos quase 500 quilômetros de distância, podendo chegar a óbito ainda no percurso.

   
Foi agraciado
Sabemos que o secretário estadual de Saúde, Wiliam Pimentel e o Dr. Tenório, não se amarram muito bem. Mas isto não serve de picuinhas para não enviar os medicamentos prometidos pelo casal Raupp, padrinho de Pimentel na Saúde. Além do mais, não é postura correta  para uma pessoa que foi agraciada pela Câmara de Vereadores de Rolim de Moura. Pimentel deveria liberar os medicamentos não para Tenório, mas, para os munícipes de Rolim de Moura, que necessitam  desses medicamentos prometidos e não cumpridos pelos seus padrinhos.  

Reconstruir
A Semosp precisa rever com urgência os reparos das ruas Tocantins com à Aracajú, onde o asfalto construído acerca de cinco anos, está  praticamente comprometido uma boa parte. Como é mão preferencial, os carros transitam acima do limite permitido por Lei, o que ocasiona muita poeira na redondeza, causando aborrecimento e transtornos para as donas de casas, e comerciantes aos arredores.

Tá feio
Também na rua Tocantins, desde o centro de treinamento da igreja Católica, até o Banco de Sangue (Fhemeron), o causo está instalado no que concerne a buraqueira, onde a velocidade máxima permitida é na faixa de 5 quilômetros por hora. Mas um pouco abaixo na mesma Tocantins, foram instalados a manilhas para asfaltar o local, mas até hoje os moradores reclamam porque não fizeram o asfalto, uma vez que a Usina já está funcionando.

Culinárias

O mês de junho e julho as festas pipocam pra todos os cantos, aqui em Rolim de Moura, mesmo se falando em crises, todas foram bastante movimentadas e com muita gastança por parte dos frequentadores. As duas melhores festas sem dúvida foram as do milho da igreja Batista e a do Centro Educacional de Rolim de Moura, que a cada ano é destaque nas culinárias, ou seja, na gastronomia.