sábado, 31 de janeiro de 2015

Por - Eugênio Bucci

Entre a república de bananas e a república de banana split

Extenuada como um náufrago, Cuba diz sim a Obama. Tudo o que deseja é ser americana, como jamais foi


Anunciado em dezembro, o abrandamento das tensões entre Cuba e os Estados Unidos trouxe leveza às festas de final de ano. “Somos todos americanos”, disse Barack Obama, em espanhol, em clima de Feliz Natal. A notícia de que o papa Francisco teria atuado nos bastidores, facilitando as negociações, completou com aura beatífica a celebração do congraçamento. Houve até quem fizesse broma, dizendo que o pontífice argentino, conterrâneo de Che Guevara, tinha operado um pequeno milagre.

Com bom humor, o mundo festejou a boa-nova. Só quem reclamou foram alguns dos exilados cubanos na Flórida, os mais ressentidos, e também, é claro, a extrema-direita americana. Os seres humanos normais aplaudiram e, na semana passada, quando surgiram as confirmações de que Havana está libertando prisioneiros que eram acusados de espionagem, aplaudiram ainda mais. Ao menos do lado de cá do Oceano Atlântico, o ano de 2015 será menos acabrunhado do que 2014. As águas do Caribe se acalmam.

A simbologia dessa reaproximação é imensa, muito maior que as insulares dimensões de Cuba e muito mais expressiva que seu modesto potencial econômico. Embora o PIB per capitada ilha alcance, nas estatísticas oficiais, algo como US$ 10 mil por ano, são raríssimos os cubanos que põem no bolso um décimo dessa quantia. Viver em Cuba é padecer no paraíso socialista, um infortúnio tão infernal que muitos preferem arriscar a vida sobre as ondas em embarcações improvisadas na esperança de aportar em Miami. Milhares morreram no caminho. Opositores do regime estimam que, desde que Fidel tomou o poder, em 1959, 100 mil fugitivos perderam a vida no mar (mais ou menos 1% da população de Cuba).

O fluxo migratório é trágico, letal – e não cessa. Agora mesmo, no final de 2014, a guarda costeira americana interceptou 3.722 “balseros” à deriva (dados do início de outubro). Outros 2.129 foram capturados em 2013. Entre setembro de 2013 e setembro de 2014, nada menos que 25 mil cubanos sem documentos conseguiram entrar nos Estados Unidos. O êxodo ainda é menor do que o de 1994, quando 37 mil se lançaram no oceano, mas a situação continua grave. Numa palavra, é insustentável. Com o acordo, a ditadura cubana pede água – água doce, que fique bem claro.

Nessa água está o peso simbólico da reaproximação com Washington. O novo acordo vem selar o epitáfio de uma ilusão longeva, uma promessa igualitária que terminou não numa explosão revolucionária, mas num suspiro diplomático. Por décadas, Cuba foi a suprema inspiração da maioria dos partidos de esquerda nas Américas do Sul e Central, mas sua mística se projetava como um ímã para as esquerdas de todos os países do mundo. Para os europeus, o regime dos Castros era uma espécie de “levante de estimação”. O francês Jean-Paul Sartre via nos guerrilheiros de Sierra Maestra a encarnação do homem novo. Diletantes de muitas nacionalidades se hospedavam em Havana como quem ia passear na Disneylândia proletária e lá se deliciavam em chamar a escassez de solidariedade enquanto discutiam a luta de classes com o garçom, sem desconfiar da opressão perversa por trás das multidões que gritavam palavras de ordem contra o Tio Sam na Praça da Revolução. Agora – bem, agora já era. O que restava de sólido no figurino do comunismo verde-oliva se desmancha no ar. Um dia, a primavera dos povos começava nas areias de Varadero. Agora, o outono de uma utopia repousa numa praia de Key West.

Nesse tempo de distensão e ocaso, voltam a doer os traumas humilhantes de quem, nos tempos de Fulgencio Batista, foi colônia de férias de gringos bêbados. A mais cultuada reserva ecológica dos devaneios anti-imperialistas se debate para não morrer na praia. É triste? Sim, é triste demais.

Há 23 anos, lancei um vaticínio num artigo de jornal (“JFK”, Folha de S.Paulo, 6/2/1992): “Fidel Castro, por exemplo, se cair, devolverá Cuba ao destino de ser república de bananas; se permanecer no poder e abrir as portas para o turismo, fará de seu país uma república de banana split, cheia de americanos desarmados tomando sorvete na praia”. Hoje, constato sem surpresa que as duas tendências se confirmaram. Fidel abdicou do trono em favor de sua caricatura cômica: o irmão menor, Raúl, que parece saído do filme Bananas, de Woody Allen. Quanto à banana split, esta não ficará sob o monopólio da Coppelia, a envelhecida estatal dos helados revolucionários. As sorveterias do Malecón terão as marcas e os sabores do fulgurante capitalismo sem pátria.

Extenuada como um náufrago, Cuba diz sim a Barack Obama. Tudo o que deseja é ser americana, americana como jamais foi.

Zeca Baleiro - Meu Amigo Enock

 

O BRASIL REAL X O BRASIL DO PT. AQUELE QUE VOCÊ NÃO QUER VÊ

 Para ler é só clicar na matéria:


















 LUCIANA CASTRO

POSSÍVEL CRIME AMBIENTAL FOI COMETIDO NO CANTEIRO CENTRAL DA AVENIDA 25 DE AGOSTO



 

Garlon* 480 BR

ANTES DE USAR O PRODUTO LEIA O RÓTULO, A BULA E A RECEITA E CONSERVE-OS EM SEU PODER. É OBRIGATÓRIO O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. PROTEJA-SE. É OBRIGATÓRIA A DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA. (Inflamável 1B, irritante para pele) Indústria Brasileira CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA II - Altamente Tóxico CLASSIFICAÇÃO DO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL II - Produto muito Perigoso ao Meio Ambiente Garlon* 480 BR Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob no 0319001 COMPOSIÇÃO: 3,5,6-trichloro-2-pyridyloxyacetic acid (Triclopir BEE) ................................................................................................. 667 g/L (61,60% m/v) Equivalente ácido de Triclopir...................................................................................................................................... 480 g/L (44,40% m/v) Ingredientes Inertes..................................................................................................................................................... 415 g/L (38,40% m/v) APRESENTAÇÃO: Frascos de 1 litro e Baldes de 20 litros CLASSE: Herbicida seletivo, de ação sistêmica do grupo ácido piridiniloxiacético Tipo de formulação: Concentrado Emulsionável TITULAR DO REGISTRO(*): Dow AgroSciences Industrial Ltda.  

------------------------------------------------------------------------------
Tordon* Sal Trietanolamina do 2,4-D e PICLORAM Registrado no Ministério da Agricultura e do Abastecimento sob o nº 00358789 Composição: Sal trietanolamina do ácido 4-amino 3,5,6 Tricloropicolínico (PICLORAM, sal trietanolamina) ........................................................ 103 g/L Equivalente ácido do PICLORAM ..................................................................................................................................................... 64 g/L Sal Trietanolamina do ácido 2,4-Diclorofenoxiacético (2,4-D, sal trietanolamina) ............................................................................ 406 g/L Equivalente ácido do 2,4-D .............................................................................................................................................................. 240 g/L Classe: HERBICIDA SISTÊMICO DE AÇÃO SELETIVA, SENDO O PICLORAM DERIVADO DO ÁCIDO PICOLÍNICO E O 2,4-D DO GRUPO DOS FENOXIACÉTICOS Tipo de formulação: Solução Aquosa Concentrada Registrante: Dow AgroSciences Industrial Ltda. Matriz: Rua Alexandre Dumas, 1.671 - 04717-903 - São Paulo - SP CNPJ: 47.180.625/0001-46 Apresentação: Frascos de 1 litro, Bombonas de 5 litros, Baldes de 20 litros, Bombonas de 50 litros e Tambores de 200 litros CLASSE TOXICOLÓGICA I (Altamente Tóxico) (1)
------------------------------------------------------------------------------------
 Segundo um Engenheiro Agrônomo com quem conversei, um desses dois produtos podem ser a causa da morte das árvores localizadas no canteiro central da Avinda 25 de agosto, na altura do Auto Posto Pasqualli. vejam as fotos:





  


Três árvore que já foram frondosas e  verdes, hoje se encontram assim. Em um processo de morte acelerado. Elas são suspeitas de envenenamento criminoso, motivado por inveja. O produto usado para pratica do crime, possivelmente é um dos herbicidas constantes no início dessa matéria.



Conversei com o Irineu, que comercializa (compra e venda) veículos automotores naquele local e este me disse, que os principais suspeitos por esse crime ambiental, são os "GARAGEIROS. 

Quem também tem a mesma opinião do Irineu é o Vladimir Klippel,  que tem as árvores como local de trabalho e escritório da atividade.   

"Por veículo automotor   entendemos, aquele que é dotado de motor próprio, e, portanto, capaz de se locomover em virtude do impulso (propulsão) ali produzido. São os carros, caminhonetes, ônibus, caminhões, tratores, motocicletas (e assemelhados) mas também as embarcações. 

Essas árvores são  públicas, foram plantadas com recursos públicos e são cuidadas com recursos públicos. Portanto acho que a prefeitura através de Secretaria Municipal de Meio Ambiente tem o dever e a obrigação de investigar esse ocorrido, sob pena dos gestores, serem  processados por crime de prevaricação.

Um inquérito policial investigatório deve ser instaurado. 
Tanto os órgãos ambientais como a polícia Civil, Ministério Público,  tem que entra na apuração, para confirmar se realmente foi um ato criminoso, do ponto de vista ambiental e,  se confirmado, punir os possíveis culpados na forma da Lei.

Perguntei ainda ao  Irineu por que a suspeita com relação aos "GARAGEIROS" e este disse que se deve a um movimento liderados por eles. GARAGEIROS, no sentido de tira-lo do local.

Continuando nossa conversa, Irineu me contou que  eles foram ao Ministério Público, SEFAZ e também na prefeitura e não tiveram amparo legal para impedi-lo de praticar seu comércio naquele local. Por conta disso, ele, Irineu, passou a ser "persona non grata" no meio. 

Perguntado se tinha algum desentendimento com mais alguém, Irineu disse que não. Daí a razão da sua suspeita. Irineu fez questão de dizer que é apenas uma suspeita e que pode está engando, mas que é esquisito a morte de três árvores ao mesmo tempo é. 

Essa matéria é uma iniciativa minha, pois trabalho em frente e percebi que tinha alguma coisa estranha acontecendo com aquelas árvores e, fui la verificar. 

De posse das informações, avisei ao Irineu que iria fazer essa matéria. O Irineu falou de livre e espontânea vontade  que tudo bem, portanto ele está ciente que eu iria escrever sobre nossa conversa.

O Irineu disse que alem de cuidar do local plantou várias árvores. Essas árvores menores nas fotos, foram plantadas e são  cuidadas por ele. 

Eu fiz a minha parte, o resto agora é com Poder Público Municipal e a justiça. Quero deixar bem claro não estou acusando ninguém. 

Estou sim levanto o fato ao conhecimento das autoridades competentes, para um investigação onde não deixe dúvidas quem realmente é o autor do ilícito ambiental. Tenho alguns amigos no ramo de GARAGENS e os tenho como pessoas de bem.





VEJA Online

Advogado 'entrega' Cerveró para a PF

Em depoimento, ex-funcionário do jurídico de subsidiária da Petrobras confirma revelação de VEJA e afirma que Ceveró agia como dono de offshore uruguaia

A Polícia Federal conseguiu mais uma prova de que o ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró era o dono de uma offshore uruguaia que movimentou milhões de reais para comprar e reformar o seu apartamento na Zona Sul do Rio de Janeiro. Em depoimento prestado na última quarta-feira, o advogado Marcelo Mello confirmou a negociata revelada por VEJA em setembro do ano passado. 
Mello conhece Cerveró de longa data. O advogado tem no currículo uma passagem pelo departamento jurídico da Braspetro, antiga subsidiária da Petrobras, mais tarde incorporada pela área internacional da estatal, na qual Cerveró deu as cartas entre 2003 e 2008. Ao delegado Eduardo Mauat da Silva, Mello contou que foi procurado há sete anos por Cerveró e pelo advogado uruguaio Oscar Raquetti para montar uma subsidiária brasileira da Jolmey Sociedad Anonima. Desde o ano passado, Cerveró negava qualquer participação na criação da offshore, mas a partir de 21 de janeiro preferiu se calar diante de e-mails publicados por VEJA. Nas mensagens, era evidente que o ex-diretor internacional dava as cartas na Jolmey.
Mello confirmou que Cerveró "tratou pessoalmente do assunto" e combinou a aquisição de um duplex pela offshore. O enredo da aquisição contemplava várias operações nebulosas. A Jolmey comprou o apartamento e, três meses depois, um contrato de locação foi firmado com Patrícia, mulher de Cerveró. Uma evidência de que o aluguel pago por Cerveró era de fachada é que o valor fechado foi de 3.500 reais; hoje, um executivo da Vale que vive no local paga 18.000 reais.
saiba mais

Camila Pitanga


Camila Pitanga nua / pelada em receberia as... por famosasnuas
Camila Pitanga pelada em cenas quentes do filme: “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios”. São belas cenas de sexo selvagem e imagens dessa linda morena sem roupa…

ACERTOU

 

Menino curioso, escutou a irmã gritando no jardim e  pensou que uma cobra a tivesse picado e foi em sua ajuda E TAVA CERTO  ....

Levanta Alzira os olhos pudibunda

 

*Bocage*

Levanta Alzira os olhos pudibunda
Para ver onde a mão lhe conduzia;
Vendo que nela a porra lhe metia
Fez-se mais do que o nácar rubicunda:

Toco o pentelho seu, toco a rotunda
Lisa bimba, onde Amor seu trono erguia;
Entretanto em desejos ardia,
Brando licor o pássaro lhe inunda:

C'o dedo a greta sua lhe coçava;
Ela, maquinalmente a mão movendo,
Docemente o caralho embalava:

"mais depressa" – lhe digo então morrendo,
Enquanto ela sinais do mesmo dava;
Mistica pivia assim fomos comendo.

----------------------------------------------------------

Manuel Maria de Barbosa l'Hedois du Bocage (Setúbal15 de Setembro de 1765 – Lisboa21 de Dezembro de 1805) foi um poetaportuguês e, possivelmente, o maior representante do arcadismolusitano. Embora ícone deste movimento literário, é uma figura inserida num período de transição do estilo clássico para o estilo romântico que terá forte presença na literatura portuguesa do século XIX.

-----------------------------------------------------------------------------------------------
pu.di.bun.do 
adj (lat pudibundu1 Que tem ou revela pudor; que se envergonha. 2 Que facilmente se escandaliza. 3 Corada, rubicunda.

'Pátria educadora' e a mentira como método

 

Por Roberto Freire

Não é criando slogans falaciosos que Dilma sairá de sua encruzilhada

“Brasil, pátria educadora”, o novo slogan criado pelo marqueteiro oficial do lulopetismo para o segundo mandato da presidente Dilma Rousseffé mais uma peça de ficção que tenta esconder a incompetência de um governo marcado por estelionatos eleitorais em série. Enquanto a máquina de propaganda do PT vende à sociedade a ideia de que Dilma priorizará a educação como “nunca antes neste país”, os fatos da vida real, sem qualquer maquiagem ou pirotecnia, insistem em desmentir mais uma falácia do Palácio do Planalto.

De acordo com reportagem publicada pelo jornal “O Estado de S.Paulo” na última segunda-feira (26), o primeiro governo Dilma registrou a menor média de gasto efetivo do orçamento para a educação desde 2001 – penúltimo ano da gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Dados analisados a partir de um estudo da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV-DAPP) mostram que,entre 2011 e 2014, o Ministério da Educação (MEC) gastou apenas 77% do dinheiro disponível, percentual inferior à execução de fato do orçamento total no período (82%).

Mesmo a melhor marca alcançada pelo governo Dilma, de 79% de execução orçamentária para a educação, registrada no ano eleitoral de 2014, é menor do que a de todos os anos entre 2001 e 2010. O pior índice foi o de 2012, quando apenas 73% do dinheiro direcionado à educação foi efetivamente investido, enquanto a média de gasto do orçamento total do governo naquele ano chegou a 83%.

Com a desfaçatez, Dilma se desmoraliza ainda mais diante da opinião pública e dos milhões de brasileiros que a reelegeram por estreita margem de votos em outubro do ano passado. A impressão que se tem é de que a presidente da República sofre de mitomania, um desequilíbrio psíquico caracterizado pela tendência incontrolável à mentira, à fabulação, à simulaçãoSe cortou verbas para a educação, por que, afinal, criou o tal slogan?

A “pátria educadora” de Dilma e do PT, como consequência da falta de investimentos e do contingenciamento irresponsável do governo, é aquela que registrou em 2012, pela primeira vez em 15 anos, um aumento do índice de analfabetismo, que vinha em declínio desde 1997. Dados do IBGE no período revelaram que, entre 2011 e 2012, houve um acréscimo de cerca de 300 mil pessoas de 15 anos ou mais ao grupo daqueles que não sabem ler nem escrever, totalizando uma legião de 13,2 milhões de brasileiros incapazes de se comunicar pela escrita.

O maior estelionato eleitoral de nossa história republicana se avoluma a cada dia do segundo mandato de Dilma, que vem fazendo, no governo, tudo aquilo que combateu durante o processo eleitoral. A presidente que se cuide, pois a indignação da sociedade só aumenta com as promessas não cumpridas e as sucessivas mentiras que já se acumulam em menos de um mês de governo. O próprio PT dá sinais inequívocos de esgotamento e sofre com graves fraturas internas, entre as quais se destacam as duras críticas da senadora Marta Suplicy, liderança histórica da legenda, que vem apontando de forma firme o descalabro da atual administração. 

A crise econômica, o isolamento político da presidente e o julgamento dos envolvidos no “petrolão” – escândalo que atinge o PT, os partidos aliados, o alto escalão da Petrobras e, de forma inescapável, o próprio governo Lula/Dilma – formam um cenário que se assemelha ao vivido por Fernando Collor às vésperas do melancólico fim de sua passagem pelo Planalto

Neste momento, ainda é cedo para prever os desdobramentos da crise e o que será do paísMas não é criando slogans falaciosos como o “pátria educadora” ou usando a mentira como método que Dilma sairá de sua encruzilhada e fará o Brasil avançar. 

Roberto Freire é deputado federal por São Paulo e presidente nacional do PPS

MULHER BRAVA OU TA TRAINDO O MARIDO OU ELE NÃO TA DANDO NO COURO

- Podia ter ficado sem essa kkkkkkkk' #curtam
>>>>>>>>> The King Of Humor

Zeca Baleiro - Ai que Saudade D'ocê

ACONTECEU NO ACRE

Se olharmos essa foto direitinho o bezerro está mais atento a missa que essa moça a direita. Se falta fiel, vai o bovino.

Na Índia, mesmo não sendo unanimidade o bovino é tido como animal sagrado. A tradição nasceu com o hinduísmo. Os Vedas, coletânea de textos religiosos de cerca de 1500 a.C., comentam a fertilidade do animal e o associam a várias divindades. 
Outra escritura hinduísta fundamental, o Manusmriti, compilado por volta do século I a.C., também enfatiza a importância da vaca para o homem. 
Nos séculos seguintes, foram criadas leis elevando gradualmente o status religioso bovino. No sistema de castas que ainda vigora na sociedade indiana, a vaca é considerada mais "pura" até do que os brâmanes (indivíduos pertencentes à casta mais elevada, dos sacerdotes) - por isso, não pode ser morta nem ferida e tem passe livre para circular pelas ruas sem ser incomodada. 
O leite do animal, sua urina e até mesmo suas fezes são utilizados em rituais de purificação.

CHICO MENDES UM LEGADO PARA A HISTÓRIA

Francisco Alves Mendes Filho, mais conhecido como Chico Mendes, (Xapuri15 de dezembro de 1944 — Xapuri, 22 de dezembrode 1988) foi um seringueirosindicalista e ativista ambiental brasileiro. Ele lutou pelos seringueiros da Bacia Amazônica, cujos meios de subsistência dependiam da preservação da floresta e suas seringueiras nativas. Esse ativismo ecológico lhe valeu fama internacional.

A luta de Chico pela proteção da floresta e dos povos que a habitam faz com que os bancos estrangeiros suspendam financiamentos prometidos para empreendimentos que viriam a prejudicar a floresta, como asfaltamento de estradas e construção de prédios. Isso é bater de frente com os interesses de empresários e fazendeiros como Tavares. 

Chico Mendes acreditava que o trabalho sujo de matá-lo tenha ficado a cargo dos irmãos Darly e Alvarino Alves da Silva, fazendeiros.

O fato é que ele os incomoda mais e mais. Ele impede que os fazendeiros desmatem as terras que compraram. Depois, por causa da pressão estrangeira, o governo desaporia um seringal para transformá-lo em reserva extrativista, reivindicação de Chico. 

Na tentativa de deter Darly, Chico aciona alguns conhecidos para investigarem se o fazendeiro tem crimes nas costas. E tem. Com isso, um juiz decreta a prisão de Darly. Só que o tempo passa e ninguém prende o criminoso, talvez porque o escrivão da polícia local seja irmão dele. Chico acaba ficando numa situação ainda mais difícil.


Chico escreve cartas para toda a imprensa anunciando seu assassinato para breve, mas ninguém dá atenção. Até que um dia, ao abrir a porta de casa na intenção de sair para tomar banho, Chico é baleado e morre, bem diante de sua esposa e filhos.

O líder sindical e ambientalista Chico Mendes, na companhia do filho Sandino, de autoria do repórter fotográfico paranaense Carlos Ruggi, publicada originalmente no jornal O Estado de S. Paulo.

Chico Mendes era contra:

-Chico Mendes defendia--------------------------------------------------------------------------------



Hevea brasiliensis L., conhecida pelos nomes comuns de seringueira e árvore-da-borracha , é uma árvore da família das Euphorbiaceae. Apresenta folhas compostas, flores pequeninas e reunidas em amplas panículas. Sua madeira é branca e leve e, de seu látex, se fabrica a borracha. Seu fruto encontra-se em uma grande cápsula com sementes ricas em óleo, que pode servir de matéria-prima para resinasvernizes e tintas.

Serigueira nativa
 
Açaí


Cupuaçu

Doce de cupuaçu

Uruncun

Guaraná

Dentre os frutos estudados, o taperebá, também conhecido como cajá, apresentou o maior teor de fibra alimentar.

Obs: a maioria dessas fotos foram retiradas do Blog do Altino Machado.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

COLUNA DO AUGUSTO NUNES

 

O casamento pedófilo legalizado por países islâmicos é uma homenagem ao Profeta que já passara dos 50 anos quando transformou em esposa uma menina com menos de 10

ATUALIZADO ÀS 23h37
“O Profeta Maomé é o modelo que seguimos”, informa no vídeo o saudita Ahmad Al Mu’bi. “Ele tomou Aisha como sua esposa quando tinha 6 anos, mas só fez sexo quando ela tinha 9″. O maridão já passara dos 50, dispensou-se de lembrar o oficiante de casamento.
Também lhe pareceu irrelevante ressalvar que, enquanto esperava que Aisha chegasse ao ponto, Maomé não teve de estrangular a libido. O harém que abrigava o time de reservas de Aisha estava ali para que jamais faltasse companhia noturna.
“Qual é a idade apropriada para a primeira relação sexual?”, interroga-se Ahmad Al Mu’bi no meio do falatório. “Isso varia de acordo com o ambiente e as tradições”, desconversa, caprichando na pose de doutor em aberrações nupciais. Eis aí uma bom tema para devotas de Lula.
De longe, marilenas chauís e marias-do-rosário contemplam com olho rútilo e lábio trêmulo os turbantes engajados na guerra contra os infiéis em geral e o Grande Satã americano em particular. Se tivessem nascido por lá, conheceriam o abismo que separa um macho de uma fêmea.
Ele pode tudo e tudo decide, saberiam as companheiras da seita lulopetista. Ela obedece sem queixas. Ele é dono. Ela é propriedade. É estuprada na infância, vira mãe na adolescência e se torna avó quando ainda confere no espelho como é a aparência de uma balzaquiana recentíssima.
O modelo saudita, adotado em grande parte do mundo islâmico, permite que qualquer adulto de qualquer faixa etária transforme em esposa, e inicie sexualmente. meninas em idade de brincar com bonecas. Em lugares menos primitivos, esse tipo de assassinato da inocência dá cadeia. Até no Brasil.
Naquelas paragens, o casamento pedófilo é uma homenagem ao Profeta que amava criancinhas.

Coluna do Augusto Nunes

A edição de VEJA que está chegando aos assinantes e às bancas prova que sábado é mesmo o mais cruel dos dias para gente com culpa no cartório. E confirma que a Operação Lava Jato tem tudo para lavar a alma do Brasil decente. Como informa a reportagem de capa, o pântano do Petrolão está cada vez mais próximo de Lula e Dilma.
Confira dois trechos:
1. Os diretores das empreiteiras sabem que novas delações só serão admitidas se revelarem fatos novos ou o envolvimento de personagens importantes que ainda se mantêm longe das investigações. Por isso, o alvo é o topo da cadeia de comando, onde, segundo afirmam reservadamente e insinuam abertamente, estão Lula e Dilma Rousseff. 
2. Numa conversa recente, Lula queixou-se da atitude da sucessora: “A Dilma está deixando as coisas correrem. Isso é um grande erro. Se nada for feito, o problema chegará até ela, porque ela era a presidente do Conselho de Administração da Petrobras”. 
São apenas duas das numerosas revelações que se estendem por oito páginas da revista. O padrinho e a afilhada não vão sentir saudade da primeira semana de fevereiro de 2015.

PARA LER MAIS É SÓ CLICAR EM: DIA d.pdf

Bom dia!

Prezados colaboradores,

Segue em anexo o oficio circular do Ministério da Saúde sobre o dia D de combate á dengue e chikungunya
que será realizado no próximo dia 07 de fevereiro de 2015.

Favor acusar recebimento.


Coordenação estadual de controle da Dengue.

--